26 de abril, Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a hipertensão arterial acomete mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo. 

A doença é a maior contribuinte para o desenvolvimento de complicações cardiovasculares e mortalidade, sendo relacionada a 51% das mortes por AVC e 45% das mortes por problemas cardíacos.

Devido a grande incidência e graves consequências da hipertensão arterial, foi instituída uma data para reforçar a importância do combate à doença. 

Para isso, o dia 26 de abril foi escolhido como o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial.

A data ressalta a importância de checar a pressão arterial pelo menos uma vez ao ano em todas as faixas etárias, assim como incentiva a população a criar hábitos de vida mais saudáveis. 

Para informar sobre a hipertensão arterial, suas consequências, além de recomendações sobre prevenção e tratamento, preparamos este conteúdo. Acompanhe.

A importância do Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial 

O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial foi instituído pela Lei Nº 10.439, de 30 de abril de 2002.

Ele é um instrumento social para conscientizar sobre a doença e melhorar a qualidade de vida dos pacientes com pressão arterial elevada.

E porque a data é tão importante? 

Segundo a Sociedade Europeia de Cardiologia, metade dos pacientes hipertensos não sabe que têm a doença.

Como resultado, a pressão arterial não é controlada, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares e mortalidade desses pacientes.

Portanto, ações de conscientização e prevenção da doença são fundamentais.

A data incentiva jovens e adultos a medirem a pressão arterial, visando criar uma cultura preventiva, além de hábitos de vida mais saudáveis e ações sobre diagnóstico e tratamento da doença. 

Quanto mais pacientes forem diagnosticados, mais orientações serão passadas, o que poderá reduzir o percentual de mortes.

Além disso, é fundamental que os pacientes entendam, de fato, como funciona a hipertensão arterial e a importância da adesão ao tratamento.

Segundo o presidente da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), se houvesse uma adesão em massa, de modo que todos os brasileiros realizassem o controle da pressão arterial, haveria uma queda significativa do número de mortes por doenças cardiovasculares. 

Que tal aprendermos mais sobre o assunto?!

O que é hipertensão arterial?

A hipertensão arterial é um mal silencioso, ou seja, não costuma apresentar sintomas e precisa ser diagnosticada e tratada o quanto antes.

A doença é definida pela elevação sustentada dos níveis da pressão sanguínea nas artérias, acima de 140×90 mmHg (o famoso, 14/9). 

O primeiro número corresponde à contração do coração – pressão máxima ou sistólica – já o segundo reflete o valor da pressão arterial quando o coração relaxa – pressão diastólica. 

A elevação contínua da pressão arterial causa desgaste nas artérias, coração e em outros órgãos, o que pode levar a sérias consequências, como infarto do coração, AVC (Acidente Vascular Cerebral), insuficiência cardíaca e renal.

Dados da hipertensão no Brasil 

A hipertensão arterial é a doença crônica mais incidente no Brasil e é a que mais mata.

Segundo dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas de 2019, desenvolvida pelo Ministério da Saúde, 24,5% da população brasileira têm hipertensão. Ficando na frente de doenças como diabetes (7,4%).

Entre a população idosa, 60,9% são acometidos pela doença.

Segundo dados preliminares do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, em 2017, mais de 140 mil pessoas morreram devido à hipertensão ou causas relacionadas a ela.

Isso representa 388,7 mortes por dia e 16,2 óbitos a cada hora.

Dessas mortes, 37% são precoces, ou seja, em pessoas com menos de 70 anos de idade. Além disso, esse cenário pode ser evitado por meio do diagnóstico e tratamento adequado. 

A hipertensão arterial na infância e adolescência 

Engana-se quem pensa que a hipertensão é uma preocupação somente para a população acima dos 18 anos.

De fato, a doença é mais frequente em adultos e idosos, no entanto, ela também pode se manifestar na infância e adolescência. 

No Brasil, a estimativa é que a pressão alta atinge, aproximadamente, 17% das crianças e adolescentes.

Nessas faixas etárias, a doença pode causar lesões graves no coração, cérebro e rins, além de hipertensão arterial na vida adulta. 

Os critérios que definem a pressão arterial normal ou elevada em crianças e adolescentes variam conforme o peso, idade, sexo e altura do paciente.

Quais são as principais causas da hipertensão?

A hipertensão arterial pode ter causa primária, quando é associada a fatores genéticos e hábitos de vida.

Nesses casos, os principais fatores associados à doença são: hereditariedade, consumo de sal em excesso, obesidade, histórico familiar, estresse e envelhecimento.

Além disso, o tabagismo, consumo exagerado de bebida alcoólica e sedentarismo também são associados como fatores de risco para a doença.

É válido ressaltar que a hipertensão arterial primária corresponde a 95% dos casos de pressão alta.

No entanto, a hipertensão arterial também pode ter causa secundária (5% dos casos), isto é, quando ela decorre de outros problemas de saúde, por exemplo, doenças renais e hipertireoidismo. 

O diagnóstico da origem do problema é fundamental para o sucesso do tratamento. 

Os riscos de um cardápio rico em gordura, açúcares e sal

Como vimos, entre os principais fatores de risco associados à hipertensão estão hábitos alimentares ruins, principalmente, o consumo excessivo de sal. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, 90% dos homens e 70% das mulheres consomem mais sal do que o máximo recomendado.

Além disso, uma dieta rica em gordura, açúcares e alimentos industrializados pode influenciar no desenvolvimento de obesidade e diabetes, que também são fatores de risco para a doença.

Em crianças, a dieta inadequada também tem sido uma das principais causas associadas à hipertensão.

Segundo Luiz Bortolotto, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Hipertensão, a maioria dos casos de pressão alta em crianças está associada à obesidade, dieta rica em sódio e sedentarismo.

Além de outros fatores como predisposição genética.

Como prevenir e diagnosticar precocemente a hipertensão arterial? 

A hipertensão arterial é, na maioria dos casos, assintomática. Portanto para prevenir e diagnosticar a hipertensão é fundamental que todos os indivíduos meçam a pressão arterial pelo menos uma vez por ano. 

De acordo com as diretrizes brasileiras de tratamento para a hipertensão, todas as crianças a partir dos 3 anos devem medir a pressão arterial regularmente em consultas médicas de rotina.

Além disso, para prevenir a doença também é fundamental que o paciente:

  • Evite o sedentarismo, portanto, pratique atividades físicas todos os dias. 
  • Mantenha o peso ideal, evitando a obesidade;
  • Adote alimentação saudável reduzindo a ingestão de sal, frituras e aumente o consumo de frutas, verduras e legumes;
  • Não fume;
  • Reduza a ingestão de álcool;
  • Evite situações de estresse.

Qual é o tratamento para hipertensão arterial?

Embora a hipertensão arterial primária não tenha cura, ela pode ser tratada e controlada por meio de mudanças dos hábitos de vida e uso de medicamentos (quando necessário). 

No entanto, a baixa adesão e o abandono do tratamento estão entre os principais obstáculos para o controle da hipertensão arterial.

É muito comum que o paciente não apresente sintomas ou que comece o tratamento e se sinta melhor e abandone o tratamento.

É fundamental que o paciente tenha ciência de que a pressão alta é uma doença crônica, silenciosa e que mata. O tratamento e acompanhamento médico devem ser realizados pelo resto da vida do paciente.

Já a pressão hipertensão arterial secundária pode ser curável, dependendo da causa.

Como você pode ajudar no combate à hipertensão?

Uma das principais armas contra a hipertensão é a informação. 

Portanto, neste dia 26 de abril, Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial espalhe conhecimento! Divulgue nas suas redes sociais informações sobre a doença e compartilhe este conteúdo com um amigo.

E não se esqueça de se cuidar! Meça a sua pressão arterial e mantenha hábitos de vida saudáveis.

O MedHyper tem a missão de auxiliar no combate a hipertensão e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Contamos com você nessa!

hipertensão arterial, MedHyper


MedHyper

A MedLevensohn, empresa brasileira de distribuição de produtos para saúde e bem-estar com mais de 18 anos de atuação no mercado nacional, desenvolveu o Projeto MedHyper com o objetivo de prover uma vida equilibrada e de qualidade, com economia, informação, comodidade e tecnologia aos portadores de Hipertensão. Este poderoso aliado tecnológico, baseado nos mais modernos sistemas de telessaúde do mundo, visa trazer benefícios diretos aos seus participantes. De uma forma prática e eficiente, o MedHyper é uma ferramenta importante no controle de problemas crônicos e de difícil solução através de métodos usuais.

Comentário (3)

Os comentários estão desativados.

Assine nossa newsletter

Gostaria de receber informações e comunicações do projeto MedHyper via email com a opção de descadastramento a qualquer momento.

Contato