Qual é a diferença entre os monitores de pressão arterial de braço e de pulso?

A consciência a respeito dos riscos que a hipertensão arterial representa para a saúde cresce a cada dia. Como resultado, mais e mais pessoas entendem que os perigos da pressão alta são reais e estão muito mais perto do que o desejado.

Assim, os monitores digitais de uso doméstico são cada vez mais procurados por quem já compreendeu que a hipertensão arterial é um inimigo que deve ser monitorado diariamente.

Nesse sentido, os equipamentos atuam como uma ferramenta útil de prevenção para aqueles que ainda não apresentam um quadro de pressão arterial alterada.

Ao mesmo tempo, para quem já é hipertenso, os monitores são um importante aliado para manter a hipertensão sob controle.

Vamos abordar neste artigo os dois principais tipos de monitor digital de pressão arterial para uso doméstico que estão disponíveis no mercado (aferição no braço e no pulso), entendendo quais são as diferenças entre eles.

 

Entendendo os números da pressão arterial

Ao longo da maior parte do século 20, não havia alternativa para a medição da pressão arterial que não fosse o tradicional aparelho conhecido como esfigmomanômetro.

O método de uso consiste em colocar o manguito no braço do paciente e inflá-lo por meio de uma bombinha de mão, até que a circulação local de sangue seja interrompida. A partir daí, começa o processo de aferição da pressão arterial.

O médico permite que o manguito desinfle e, com a ajuda de um estetoscópio colocado sob a braçadeira, começa a escutar a circulação ser retomada.

O primeiro som indica a pressão sistólica, aquela que mede a pressão feita contra a parede das artérias quando o coração se contrai e bombeia o sangue para o organismo. É o número de maior valor das leituras da pressão arterial.

Na sequência, no instante logo após a circulação do sangue se normalizar e o som deixar de ser percebido, tem-se a medida da pressão diastólica.

Ou seja, a pressão sofrida pelas artérias quando o coração relaxa entre um batimento e outro. Trata-se do número de menor valor das medições.

Assim, em uma medição com resultado 120 x 80 mmHg (o famoso “12 por 8”), 120 mm de mercúrio indica a pressão sistólica, enquanto 80 é a pressão diastólica.

 

A evolução trazida pelos medidores digitais de uso doméstico

Nos dias de hoje, com o desenvolvimento e o aperfeiçoamento das tecnologias digitais, medir a pressão arterial deixou de ser exclusividade dos consultórios e do ambiente hospitalar para ganhar seu espaço na casa das pessoas.

Os monitores digitais de uso doméstico representam um significativo avanço no que se refere à prevenção e controle da hipertensão, não apenas pela comodidade que oferecem, mas, principalmente, pela precisão e confiabilidade das aferições.

A evolução dos equipamentos é tanta que eles não se limitam mais a apenas medir a pressão arterial. Suas leituras incluem os batimentos cardíacos por minuto e até mesmo a detecção de arritmias cardíacas, como é o caso da fibrilação atrial.

E a porção superior do braço deixou de ser o único lugar em que é possível fazer as medições da pressão sanguínea. O pulso também tornou-se uma opção!

 

Como funcionam os medidores digitais de pressão arterial

Os medidores digitais de pressão arterial, seja de braço ou de pulso, seguem a mesma lógica de utilização dos esfigmomanômetros.

A diferença é que, em vez de um estetoscópio, o equipamento dispõe de sensores eletrônicos que “escutam” a retomada do ritmo normal da circulação do sangue nas artérias, indicando, assim, os valores da pressão sistólica e da diastólica.

Em poucos segundos, o resultado da leitura surge nos mostradores digitais do aparelho.

 

Mas qual é melhor? Braço ou pulso?

Essa pergunta é bastante comum e a resposta é muito simples: as duas opções são excelentes e ambas cumprem muito bem seu objetivo principal, que é entregar uma leitura precisa e confiável da pressão arterial ao paciente e seu médico.

Os melhores equipamentos recebem, inclusive, selos de validação emitidos pelas mais importantes instituições médicas internacionais, atestando sua qualidade.

O que pode influenciar um pouco na escolha entre um e outro é o tipo de situação em que o usuário pretende utilizar seu aparelho. Veja só:

Benefícios do monitor de pulso

Não existe uma norma estabelecida pelos fabricantes para isso. No entanto, é possível dizer que, se o indivíduo não apresenta indícios de ter a pressão alterada e deseja fazer as medições para fins de recreação ou de prática esportiva, o monitor de pulso pode ser uma alternativa mais adequada.

Isso se dá por uma mera questão de praticidade no seu uso, uma vez que, por ser um aparelho bastante portátil, pode ser utilizado em qualquer lugar, seja em casa ou mesmo em ambientes externos com pouca estrutura.

Benefícios do monitor de braço

O monitor de braço, por sua vez, tende a ser uma melhor alternativa para aqueles que efetivamente pretendem utilizá-lo apenas no ambiente doméstico, priorizando o conforto e a comodidade da sua casa.

Da mesma forma, usuários que já apresentam sinais de elevação na pressão arterial podem entender, de maneira intuitiva, que este tipo de aparelho é a melhor opção, pelo simples fato de o braço ser, normalmente, a parte do corpo em que as aferições são realizadas.

Principais cuidados ao usar um monitor digital

Para que as medições da pressão arterial sejam feitas corretamente, é preciso tomar alguns cuidados ao utilizar o equipamento, independentemente de ele ser de braço ou de pulso.

Saiba quais são:

  • Realize as medições preferencialmente após acordar pela manhã e ao final do dia, perto do anoitecer.
  • Não fume, beba ou faça exercícios por uma hora antes de medir a pressão.
  • Vá ao banheiro antes da medição, pois pode haver discrepância na leitura se a bexiga estiver cheia.
  • Sente-se confortavelmente, respire fundo algumas vezes e procure relaxar durante uns cinco minutos antes de fazer a leitura.
  • Coloque o manguito (ou braçadeira) diretamente sobre a pele, nunca sobre a manga da camisa.
  • Mantenha o braço estendido sobre a mesa na altura do coração, com a palma da mão voltada para cima.
  • Durante a medição, tenha os pés bem postados no chão e a coluna apoiada na cadeira.
  • Não fale durante o procedimento de leitura.
  • Se estiver usando um monitor de pulso, lembre-se de que a medição deve ser sempre feita no pulso esquerdo, com o mostrador voltado para cima.

 

Conheça os monitores digitais Microlife de uso doméstico

A Microlife é a maior fabricante mundial de monitores digitais de pressão arterial.

Com sede na Suíça, a empresa é reconhecida internacionalmente pela alta tecnologia de seus equipamentos, reconhecidos pelas mais importantes instituições médicas da Europa e dos Estados Unidos.

Os monitores Microlife são trazidos para o Brasil através do Projeto MedHyper, uma iniciativa da MedLevensohn, distribuidora de equipamentos de saúde e bem-estar com mais de 18 anos de atuação no mercado nacional.

Para atender ao mercado de monitores de uso doméstico, o MedHyper disponibiliza o modelo de braço A200 com AFIB (Atrial Fibrillation, exclusiva tecnologia Microlife para detecção da arritmia denominada fibrilação atrial), além do modelo Pulso Prata, que possui a tecnologia PAD (Pulse Arrhythmia Detection) para detectar arritmias cardíacas.

Para saber mais sobre o Projeto MedHyper e os monitores Microlife de uso doméstico e ambulatorial, visite o nosso blog ou entre em contato com nossos consultores.

Estamos prontos a ajudá-lo a enfrentar os desafios provocados pela hipertensão arterial.

diferença entre monitores, MedHyper, monitor de pressão arterial, monitor de pressão de pulso

Assine nossa newsletter

Gostaria de receber informações e comunicações do projeto MedHyper via email com a opção de descadastramento a qualquer momento.

Contato